Atualmente a palavra inovação está presente cada vez mais no dia a dia das pessoas, principalmente quando o assunto são empresas de tecnologia e startups. Parece que em tempos de pós pandemia as corporações que não inovarem, sucumbirão ao fechamento. 

O grande desafio da Inovação está em criar algo do zero sem perder a essência do que já existe. Novas ideias ou métodos devem respeitar os valores e qualidade para assim alinhar a experiência com a modernidade. 

Mas em empresas familiares, como isso funciona? Em algumas que possuem um sistema de gestão implantado e aliado a uma governança corporativa profissional é mais tranquilo, porém, nas empresas onde isso não ocorre, os conflitos são recorrentes. 

A começar pela própria gestão, não é pelo fato que a empresa nasceu familiar que não possa ter também uma gestão compartilhada com membros da família e profissionais de mercado. 

Hoje existem ferramentas que identificam potenciais talentos em inovação dentro dessas corporações, entre elas, em disparado, o coach de líderes empresariais se mostra uma das mais eficazes. 

Ter um processo de coaching empresarial é o primeiro passo na busca da inovação, pois essa técnica reorganiza os papéis e responsabilidades dos envolvidos, trazendo clareza na atuação de cada empregado, aumentando o desempenho e qualificação dos membros da família e executivos a curto, médio e longo prazo. 

Como o mundo passa por tempos de crise de saúde e financeira, por conta da pandemia isso fica em evidência. Com a queda dos resultados planejados, são necessárias pessoas que mudem as estratégias e não as metas.  [RE] pense. 

Matéria adaptada do portal: https://advocaciacorporativa.com/  

Para ver a matéria na íntegra acesse o link: https://advocaciacorporativa.com/inovar-para-nao-matar-uma-empresa-familiar/