Uma das metas do novo investimento do grupo dono de marcas como Louis Vuitton e Bulgari é o crescimento no mercado chinês.

O grupo francês LVMH, dono de marcas de luxo como Louis Vuitton, confirmou a aquisição da Tiffany. A própria empresa anunciou que está pagando mais de US$ 16 bilhões pela joalheria estadunidense.

Segundo o The Wall Street Journal, o acordo mantém o preço da ação da marca por US$ 135. Desde outubro havia boatos sobre a possível compra, que é a maior aquisição da história do grupo LVMH. Antes, a compra da Dior por US$ 13 bilhões, em 2017, ocupava este posto.

Para a LVMH, a Tiffany fortalece seu portfólio de jóias — o grupo já é dono da Bulgari e das marcas de relógio Hublot e Tag Hauer. Mas, além disso, é também uma aposta nos consumidores chineses. O CEO da Tiffany, Alessandro Bogliolo, tem olhado para o país asiático como parte de seu plano de aumentar o crescimento do negócio. Parte disso inclui a construção de diversas lojas conceito na China, o que já vem sendo realizado.

Os bancos JP Morgan e Citi foram os consultores financeiros da operação, que ainda precisa ser aprovada pelos acionistas da Tiffany. A expectativa do grupo francês é que a transação seja oficializada ainda em 2020.

Charles Tiffany fundou a joalheria em 1837, em Nova York. Atualmente, a marca é líder do segmento nos Estados Unidos e possui mais de 300 lojas no mundo.

Fonte: https://www.meioemensagem.com.br/