Quando falamos de famílias empresarias muitos são os desafios, porém alguns pontos devemos dedicar bastante atenção.

Você sabia…

  • 90% do total de empresas brasileiras possuem direção familiar.
  • 70% das empresas familiares não passam pela geração do fundador.
  • 5% apenas conseguem chegar à terceira geração.

Isto está ligado diretamente a falta de governança corporativa, que vem a ser um sistema pelo qual as empresas e demais organizações são dirigidas, monitoradas e incentivadas, envolvendo os relacionamentos entre família, sócios, conselho de administração, diretoria, órgãos de fiscalização e controle e demais partes interessadas.

Mas destacamos 3 pontos que são fundamentais, para que empresas familiares não façam parte dessa estatística.

01 –  Planejamento sucessório:

A falta de um planejamento sucessório nas famílias empresárias é um importante ponto de atenção, pois assegurar a passagem de comando entre as gerações que se sucedem, com regras claras e procedimentos documentados, perpetua a empresa e prepara a escolha dos líderes que conduzirão a organização.

02 – Administração de interesses e resolução de conflitos:

Ter claro e separados os organismos empresa e família, são de extrema importância na condução de perpetuidade de uma organização. A definição de regras objetivas de relacionamento na família empresária, a fim de que possam ser equacionados conflitos de interesses, sempre em harmonia, ajuda nas naturais divergências entre as gerações que se sucedem e garantem a perpetuidade da empresa. O envolvimento entre aspectos emocionais e econômico-financeiros, em muitos casos, a família acaba misturando esses interesses e por conta disso, leva problemas pessoais para o âmbito das divergências na empresa, gerando conflitos em família.

03 – Ética, postura e conduta:

Precisa haver regras que ditem o comportamento moral dentro do comando das empresas familiares. Um código que estabeleça direitos, obrigações e responsabilidades nos papéis dos sócios, herdeiros e familiares, em termos de conduta e interrelações pessoais, que venham de encontro com os princípios e valores éticos das famílias, desde sua fundação.

Claro que existem muitos outros pontos de atenção, mas creio que os citados nesse post já são suficientes para uma reflexão.

[RE]pense

Matéria adaptada do portal: https://advocaciacorporativa.com/ 

Para ver a matéria na íntegra acesse o link: https://advocaciacorporativa.com/pontos-de-atencao-nas-empresas-familiares/