Os consumidores brasileiros estão mais abertos à experimentação de novos produtos e em busca de indulgência. De acordo com o estudo Consumer Insights 2021, realizado pela Kantar, essa tendência está em alta no mercado de bebidas. Isso porque itens menos populares estão ganhando destaque. Os energéticos, por exemplo, cresceram 32% em unidades consumidas em 2021, com destaque para o segmento em lata, que apresentou um aumento de 38% no ano.

Entre 2020 e 2021 as categorias mais robustas do nicho (como refrigerantes, cervejas e suco em pó) registraram uma queda de 1,3% de unidades. Apesar disso, a média de bebidas na cesta dos compradores cresceu de 5,5 itens em 2019 para 6 em 2021.

O consumo de água, por sua vez, reflete as diferentes realidades socioeconômicas do País. A bebida de filtro e torneira ganhou popularidade entre todas as classes sociais, principalmente C, D e E, nas regiões metropolitanas de São Paulo e Rio de Janeiro.

A água mineral, por sua vez, cresceu principalmente via classe C, na região do Rio de Janeiro. Relacionadas à praticidade, as embalagens mais compradas são as que têm menos de cinco litros.