A InstaCarro acabou de receber mais um aporte, de 17 milhões de reais para expandir as regiões atendidas e melhorar sua plataforma.

São Paulo – A InstaCarro é uma startup que promete vender seu carro usado em até uma hora – e acabou de conquistar um novo investimento em sua ideia de negócio.

O negócio recebeu um investimento de 17 milhões de reais e fundos da Europa e do Vale do Silício, totalizando 112 milhões de reais captados. Com isso, o site que conecta usuários com lojas multimarcas de carros de segunda mão pretende aumentar suas regiões de atuação e investir na melhora de suas experiências em plataformas para desktop e mobile.

Em 2017, a receita anualizada da InstaCarro foi de 240 milhões de reais. O faturamento mensal está projetado para crescer 5% ao mês durante este ano. Investir é preciso: a concorrência no ramo de startups que vendem carros usados e seminovos só cresce.

Passado, presente e futuro
A InstaCarro já havia recebido aportes antes. O negócio começou no fim de 2015 com um aporte de 3,5 milhões de dólares (cerca de 11 milhões de reais, na cotação atual) dos fundos FJLabs, Lumia Capital e Tekton Ventures, além de investidores-anjo.

Em fevereiro de 2017, a empresa recebeu uma rodada de investimentos série A de 38 milhões de reais dos fundos FJLabs, Global Founders Capital, Hummingbird e Lumia Capital, entre outros investidores internacionais. O mesmo grupo de investidores que participou do aporte série A anunciou uma nova injeção de 46 milhões de reais no negócio em novembro de 2017.

Agora, a startup anunciou um aporte de 17 milhões de reais, totalizando 112 milhões de reais em investimentos. Os investimentos foram realizados pelos

fundos já conhecidos pela InstaCarro, como FJ Labs, Lumia e Hummingbird, e pela estreante Rise.

A maior mudança com o aporte é a expansão regional da InstaCarro. Hoje, as retiradas de veículos e as vistorias só são feitas na cidade de São Paulo.

A InstaCarro irá expandir nos próximos meses seus serviços para lojistas na região Sul do Brasil, como entregas no endereço da loja multimarca e suporte. Também quer atender clientes finais em Belo Horizonte, Brasília, Campinas, Ribeirão Preto, Rio de Janeiro e Santos. Apenas em São Paulo, os centros de vistoria devem passar de dez para 50 até o fim de 2018.

Luca Cafici, fundador da InstaCarro, também não descarta entrar na América Latina nos próximos cinco anos, em países como Argentina.

O aumento de regiões atendidas deverá causar um aumento no número de vendedores e compradores de veículos usados. Com isso, as plataformas para usuários e lojistas, nas versões desktop e mobile, deverão ser melhores e mais rápidas. O investimento em tecnologia permitirá dar lances e comprar serviços adicionais, como troca de pneu e polimento, de forma mais simplificada. Além disso, a plataforma para o lojista deverá ser refinada, mostrando apenas os carros mais relevantes para seu perfil.

Como funciona?
Fundada no final de 2015, a InstaCarro beneficia as duas pontas de sua cadeia. Enquanto o dono do carro usado deve conseguir o melhor preço, pela competição de várias lojas multimarcas de carros usados, o lojista encontra o veículo procurado de forma mais rápida.

Do lado da pessoa física que quer vender seu carro usado, o principal benefício está na rapidez e na transparência da negociação.

O CEO e co-fundador Diego Fischer já contou anteriormente ao site de EXAME como funciona a venda: “O cliente traz seu carro, a gente faz a inspeção, fotografa, coloca na internet e as lojas que começam a fazer ofertas. Junto com as informações online, temos uma equipe que entra em contato com possíveis compradores por telefone para oferecer o veículo. Ao final de uma hora, a gente fala para o cliente qual foi a maior oferta e cuida de toda burocracia.”

Se o cliente aceitar o lance oferecido, deve ir ao cartório para assinar o documento de transferência do carro e voltar à sede da InstaCarro com o documento em mãos para receber o depósito. O automóvel então passa para o nome da própria InstaCarro para, só então, ser vendido para a loja multimarca e levado a centrais logísticas. O serviço é gratuito para o vendedor do usado.

Já do lado das 1.500 lojas multimarcas de carros usados presentes na plataforma, a InstaCarro atua como um estoque online. Esses negócios se beneficiam da inspeção feita pela empresa e contam com algumas vantagens na negociação, como a velocidade de entrega do veículo demandado. Ao todo, o processo demora cerca de 1h.

Mercado
Em 2016, a InstaCarro faturou 100 milhões de reais. Em 2017, a receita anualizada do negócio (multiplicar o faturamento de dezembro por doze vezes) foi de cerca de 240 milhões de reais e vendeu 10 mil automóveis. Para 2018, a startup prevê um crescimento de 5% ao mês no faturamento mensal, o que daria cerca de 320 milhões de faturamento para 2018.

A InstaCarro é a mais capitalizada da onda de startups que conectam vendedores com compradores de carros usados e seminovos. Há players como 123Carros, Carflix e Volanty – cada um com suas particularidades, mas todos disputando o mercado de automóveis brasileiro, que movimenta mais de 300 bilhões de reais por ano, segundo Carlo Dapuzzo, sócio da Monashees.

Com tanta competição, recursos financeiros não garantem o sucesso – mas podem ajudar a InstaCarro a sair na frente.

Fonte: exame.abril.com.br