O apetite das empresas por fusões e aquisições anda aguçado no Brasil. A consultoria Dealogic, que coleta dados do mercado financeiro, aponta que já foram realizadas até o momento neste ano US$ 52,1 bilhões (algo como R$ 265 bilhões) em operações do tipo. Isso supera o valor de todo o ano passado, que foi de US$ 45,9 bilhões (cerca de R$ 233 bilhões).
Os três grandes blocos do mercado tech Senador dos EUA quer proibir que Big Techs comprem outras empresas Mercado Bitcoin é o 1° unicórnio cripto latino após aporte de US$ 200 milhões Uma das empresas envolvidas nesse movimento é a varejista Renner, que já analisa ativos para aquisição após reforçar o caixa com cerca de R$ 4 bilhões (pouco mais de R$ 20 bilhões). A expectativa é que a companhia aprofunde sua atuação no mundo digital.
No segmento financeiro, o Nubank obteve aporte de US$ 750 milhões (aproximadamente R$ 3,8 bilhões) liderado pelo Berkshire Hathaway, de Warren Buffett. Já o Ebanx vendeu parte de sua operação para o fundo americano Advent. Paralelamente, o BTG Pactual e a XP anunciam compras frequentemente.
Segundo Bruno Amaral, sócio do BTG Pactual responsável por M&A (fusões e aquisições), as operações de compra começaram a sair do papel no fim do ano passado. Isso porque, com a maior distribuição de vacinas contra a COVID-19, o mercado pôde começar a vislumbrar a redução dos efeitos da crise sanitária na economia. “Teremos um volume extraordinário neste ano, com o efeito do represamento de operações no ano passado e da grande liquidez nos mercados”, diz.

Fonte: https://canaltech.com.br/negocios/volume-de-fusoes-e-aquisicoes-no-mercado-brasileiro-ja-supera-todo-o-ano-de-2020-189071/  Por Roseli Andrion